sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Teoria Funcionalista

Teoria Funcionalista



à Também conhecida como Estrutural-Funcionalismo.


à Teóricos
Harold Lasswell, Charles R. Wright, Talcott Parsons, Paul Lazarsfeld, Robert Merton.


à Funções exercidas pela comunicação de massa na sociedade. Relações entre indivíduos, sociedade e meios de comunicação de massa.


à Estuda situações comunicativas mais normais e usuais da produção e difusão cotidiana das mensagens de massa, abandonando situações especiais, como campanhas eleitorais, informativas, etc., trata-se da presença normal dos mass media na sociedade.


à Pergunta

O que é que as pessoas fazem com os mass media?


à Preocupação Central

Equilíbrio da sociedade, funcionamento do sistema social.


à Preocupação

Efeitos provocados.


à Teoria Sociológica

Estrutural-funcionalismo. Sistema social na sua globalidade é entendido como um organismo cujas diferentes partes desempenham funções de integração e de manutenção do sistema. Toma como estrutura o organismo do ser vivo (composto de partes, onde cada tem seu papel, e juntas geram o todo, sendo ele funcional ou não).




à Questão-Programa de Harold Lasswell (5 perguntas)


Quem  à  Diz o que  à Em que canal  à  Para quem à Com que efeito



à Elementos de Harold Lasswell

Comunicador, mensagem, canal, receptor, fontes e efeitos.


à "A sociedade deixa de ser meio para se procurar atingir os fins dos indivíduos; são os indivíduos, na medida em que exercem uma função, que se tornam meio para se procurar atingir os fins da sociedade e, em primeiro lugar, da sua sobrevivência auto-regulada." (De Leonardis)


à "Os seres humanos aparecem como “drogados culturais” impelidos a agir segundo o estímulo de valores culturais interiorizados que comandam a sua atividade." (Giddens)





à Estrutura Parcial ou Subsistema Disfuncional

Constitui obstáculo à satisfação de uma das necessidades essenciais. Sua prática representa uma ruptura com a estrutura social existente. Para as funções diretas, existem ações indiretas. Muitas estruturas parciais do sistema social têm conseqüências diretas sobre outras estruturas parciais, sobre outros subsistemas.


à Funções Manifestas
Desejadas e reconhecidas, visíveis.


à Funções Latentes
Não reconhecidas e nem conscientemente desejadas, não intencionais e difíceis de observar.


à Funções da Sociedade

Vigilância (informativa, função de alarme contra perigos e ameaças)
Correlação das partes da sociedade (integração)
Transmissão da herança cultural (educativa)



à Funções em Relação ao Indivíduo (Wright)

A) atribuição de prestígio e posição social às pessoas e aos grupos que são objeto de atenção pelos mass media;

B) reforço do prestígio por ser um cidadão bem informado;

C) reforço das normas sociais (função de caráter ético).



à Imperativos Funcionais (fenômenos sociais regulamentados por funcionalidades que solucionem quatro problemas fundamentais)
  • Manutenção do modelo e controle das tensões – ameaças e perigos imprevistos: mecanismos de socialização dos sistemas sociais que interiorizam na personalidade do indivíduo os modelos culturais; controle por meio da comunicação pensada, inclusive sobre que efeitos provocaria no receptor.
  • Adaptação ao ambiente: sentindo-se parte do todo e percebendo-se informado e satisfeito, o indivíduo se sente confortável em eu ambiente.
  • Perseguição do objetivo: objetivos suscetíveis de serem realizados mediante esforços de caráter cooperativo.
  • Integração das partes que compõem o sistema: fidelidade entre os elementos e o próprio sistema no seu conjunto, cada um cumprindo uma função previamente estudada.
  • A ação social conforme às normas e aos valores sociais contribui para a satisfação das necessidades do sistema.



à Charles R. Wright

  • Funções e disfunções dos meios, podendo ser latentes ou manifestas.
  • Acrescenta a função recreativa, o entretenimento.
  • Para ser de interesse dos estudos funcionalistas, o fenômeno social deve ser estandartizado, ou seja, repetitivo e normativo.
  • Cria 12 elementos ao cruzar a proposta de Lasswell, Lazarsfeld e Merton: existem 1.funções, 2.disfunções, 3.manifestas, e 4.latentes de transmissões 5.jornalísticas/vigilância, 6.informativas/integração, 7.culturais, 8.entretenimento, que são exercidas sobre 9.sociedade, 10.grupos, 11.indivíduo, 12.sistema cultural.
  • As quatro atividades comunicativas: observação do ambiente (funções e disfunções, manifestas ou latentes), interpretação dos acontecimentos (jornalístico ou informativo), transmissão cultural e entretenimento.
  • Fenômenos comunicativos: A) existência global dos mass media numa sociedade; B) tipos de modelos específicos ligados a cada meio de comunicação particular (imprensa, rádio, etc.); C) ordem institucional e organizativa em que os mass media operam; D) conseqüências de o fato de a principal atividade de comunicação se desenvolver através dos mass media.
  • Disfunção narcotizante: É uma disfunção provocada pela exposição a grandes quantidades de informação. Incapacidade de guardar as informações, e seu acúmulo terminaria por levar o indivíduo a não ter nenhuma ação ante a grande quantidade de mensagens. Quanto mais expostas a mensagens da mídia, mais paralisadas as pessoas ficam diante do bombardeio de mensagens, em um estado de letargia e conformismo que paralisa a ação social.



à “O cidadão interessado e informado pode deleitar-se com tudo aquilo que sabe, não percebendo que se abstém de decidir e de agir. Em suma, considera o seu contato indireto com o mundo da realidade política, a leitura, a audição da rádio e a reflexão como substitutos da ação. Chega a confundir o conhecimento dos problemas do dia com o fazer qualquer coisa a propósito. É evidente que os meios de comunicação melhoraram o grau de informação da população. Contudo, pode acontecer que, independentemente das intenções, a expansão das comunicações de massa esteja a desviar as energias humanas da participação ativa para as transformar em conhecimento passivo.” (Lazarsfeld e Merton)


à “Os meios de comunicação comercializados ignoram os objetivos sociais quando esses objetivos se chocam com o lucro econômico. Ao ignorar sistematicamente os aspectos controversos da sociedade, a pressão econômica incita ao conformismo.” (Lazarsfeld e Merton)
  

à Bibliografia
  • Teorias da Comunicação - Mauro Wolf
  • Comunicação de Massa, Gosto Popular e Ação Social Organizada - Paul Lazarsfeld e Robert Merton
  • Comunicação e Indústria Cultural - Gabriel Cohn (organizador)
  • The People's Choice - Paul Lazarsfeld
  • Personal Influence: The Part Played by People in the Flow of Mass Communication - Paul Lazarsfeld

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário